Blog Ibramed

Como a eletroestimulação pode otimizar o processo de recuperação muscular após exercícios

A famosa dor muscular após exercícios prolongados e intensos é uma consequência natural – e muitas vezes perseguida por atletas – porém, mostra-se como um fator limitante de desempenho! Essa recuperação apresenta um aspecto muito importante dentro de todo programa de condicionamento físico, tanto para atletas como para técnicos e diversos profissionais ligados à área… Continuar lendo Como a eletroestimulação pode otimizar o processo de recuperação muscular após exercícios

A famosa dor muscular após exercícios prolongados e intensos é uma consequência natural – e muitas vezes perseguida por atletas – porém, mostra-se como um fator limitante de desempenho!

Essa recuperação apresenta um aspecto muito importante dentro de todo programa de condicionamento físico, tanto para atletas como para técnicos e diversos profissionais ligados à área da saúde.

Essa etapa consiste em restaurar a homeostase dos sistemas orgânicos. Segundo a literatura, a recuperação muscular apresenta as seguintes fases:

Overreaching ou Overtraining

Negligenciar o tempo necessário para restauração da condição física antes de um novo estímulo caracteriza uma condição inadequada, pois limita o desempenho e aumenta os riscos de lesões. Ao longo do processo de treinamento, uma sucessão inadequada, no que se refere à relação estímulo-recuperação, pode levar a uma condição de overreaching ou até mesmo de overtraining.

Dessa forma, visando acelerar o processo de recuperação, muitos métodos têm sido utilizados, tais como: massagem, exercícios ativos de baixa intensidade, contraste quente-frio, crioterapia, estratégias nutricionais, estimulação elétrica e outras técnicas fisioterapêuticas.

Utilização da eletroestimulação no processo

A estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) promove efeitos analgésicos em uma variedade de condições clínicas. A base neurofisiológica do alívio da dor muscular com o TENS deriva diretamente da “Teoria de Comporta” da dor, além de estimular à liberação de opioides endógenos e serotonina, o que causa a diminuição subsequente na dor muscular.

A estimulação muscular por corrente terapêutica era anteriormente realizada em combinação com exercícios para alcançar uma variedade de efeitos, incluindo a recuperação e o alívio da dor muscular de início tardio.

Tendo em vista, que a dor induzida após o exercício pode ser um fator que afeta a capacidade de desempenho muscular, a estimulação muscular terapêutica tem se mostrado promissora no tratamento da dor muscular, com o objetivo de reduzir a ocorrência natural de dores musculares durante o exercício.

Astokorki e Mauger (2017) realizaram um estudo e seus resultados sugerem que o TENS pode provocar um efeito analgésico na dor induzida após o exercício durante um período exaustivo, contração isométrica submáxima e exercícios de corpo inteiro. Com isso, a dor durante estes exercícios é reduzida, o que aumenta o desempenho e resistência muscular, sem quaisquer mudanças na percepção de esforço por parte dos indivíduos. Dessa forma, podemos dizer que o TENS é uma modalidade terapêutica prática e eficaz para a recuperação muscular após exercícios.

publicado
Categorizado como Blog

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.