Polarys


Polarys Equipamento de Criolipólise
Ver 3D

Ver foto

O equipamento

O Polarys é um equipamento microcontrolado por criolipólise, destinado aos tratamentos de estética. Ele possui 4 modalidades de tratamento: criolipólise convencional, de contraste, de reperfusão e de preparo, sendo que a IBRAMED é pioneira em lançamento de um equipamento com essas 4 classificações de criolipólise.

É um recurso seguro, pois apresenta um sistema de resfriamento eficaz que garante a estabilidade da temperatura durante o uso simultâneo de ambos os aplicadores em todo tempo de tratamento, ou isolado de cada um deles. O Polarys permite o ajuste da temperatura no display (variável -8°C a +8°C), com visualização real e instantânea da temperatura do aplicador, evitando efeitos adversos.

Ele acompanha 3 aplicadores nos tamanhos P, M e G sendo: 1 P e 1 M e 1 G, o que permite tratamento em diferentes áreas e biotipos, além de possibilitar o uso de 2 aplicadores com controles independentes atuando simultaneamente para melhores resultados, com manutenção efetiva e individual de temperatura.

Destaca-se ainda por oferecer: sistema de vácuo efetivo na manutenção da sucção durante o uso simultâneo dos aplicadores, vácuo contínuo, 3 modos de pulsado (o que assegura tratamento de áreas mais doloridas e aderidas, com maior conforto e menor risco de equimoses), modo de seleção manual para livre programação dos parâmetros e Steps Mode para criar e salvar modos de tratamento personalizados, Clean Mode (sistema de autolimpeza dos aplicadores e dos cabos, o que garante a higienização efetiva, praticidade e maior durabilidade do equipamento), design moderno, fácil deslocamento, tela touchscreen, tutorial informativo com imagens e informações precisas, que otimizam o uso, e acessórios personalizados e funcionais, tais como: suporte almofadado, faixas elásticas e régua para marcação da área de tratamento que facilitam a aplicação e proporcionam maior conforto ao paciente.

O controle do modo e intensidade do vácuo podem ser realizados no próprio aplicador. Para a criolipólise de contraste, de reperfusão e de preparo, o Polarys possibilita o ajuste do tempo de aquecimento antes e/ou após o resfriamento.

O equipamento deve ser usado somente sob prescrição e supervisão de um profissional licenciado.

Dimensões

Acessórios Polarys

*Acessórios podem sofrer alterações.

Detalhes

Aplicadores
Vacuum Control
Conexões
Previous
Next

Aplicador 360º Mini

Indicações 

Técnica de aplicação 

  • Para a aplicação, deve-se utilizar o kit RMC, o qual acompanha a película protetora e a bisnaga de gel anticongelante. Não se pode utilizar a membrana anticongelante convencional com esse aplicador;
  • O aplicador acompanha também uma faixa posicionadora, para facilitar a colocação e fixação do aplicador ao paciente;
  • O tempo de aplicação pode variar em até 60 minutos;
  • A temperatura de aplicação pode atingir de -8 a +8ºC;
  • A porcentagem de vácuo a ser utilizada na aplicação (0 a 100%) deve ser suficiente para manter o acoplamento, porém sem desconforto significativo ao paciente, a fim de evitar as equimoses.

Instruções de aplicação do aplicador 360º Mini

Previous
Next

 1. Remova o papel protetor de umas das metades da película. Em seguida, posicione o centro da película no centro do aplicador;

2. Cole a primeira metade da película no aplicador, posteriormente remova o papel protetor da segunda metade e cole-a em sequência;

3. Remova todo o plástico protetor da película e certifique-se de que a película está corretamente aderida ao material do aplicador;

4. Ajuste no Polarys os parâmetros desejados para o tratamento e acione start para iniciar a sucção. Perceba que o vácuo irá fazer com que a película seja aderida a toda superfície interna do aplicador. Utilizando a ferramenta que acompanha o aplicador, perfure o orifício central interno para desobstruir a saída de vácuo;

5. O aplicador está pronto para ser posicionado no paciente;

6. Prepare o paciente utilizando a régua para marcação do local correto para colocação do aplicador;

7. Aplique na pele praticamente todo o gel anticongelante que acompanha o aplicador, reservando uma pequena quantidade para espalhar dentro do aplicador antes de posicioná-lo no paciente;

8. Posicione o aplicador no paciente. Ao tocar a pele, o vácuo irá acoplar o aplicador. Realize uma leve pressão no momento da sucção para auxiliar no acoplamento adequado;

9. Fixe o aplicador ao paciente utilizando a faixa posicionadora que acompanha o aplicador. Em seguida, certifique-se se o acoplamento do aplicador se mantém e, então, reduza a intensidade do vácuo para o mínimo necessário, evitando, assim, as equimoses.

Joias da Estética

Clique e baixe nosso catálogo.


Diferenciais


  • Possui 4 modos de criolipólise:
    • Criolipólise convencional: somente resfriamento;
    • Criolipólise de contraste: aquecimento – resfriamento – aquecimento;
    • Criolipólise de reperfusão: resfriamento – aquecimento;
    • Criolipólise de preparo: aquecimento – resfriamento.
  • Ajuste do tempo de aquecimento inicial e/ou final;
  • Uso simultâneo de 2 aplicadores com controles independentes, o que possibilita o tratamento de áreas diferentes, assim como promove aplicação em pacientes distintos ao mesmo tempo;
  • Reconhecimento automático do tamanho do aplicador que está sendo utilizado;
  • Sistema de resfriamento eficaz:
    • Controle de temperatura individual no Peltier, que garante manutenção da temperatura pré-ajustada e segurança na aplicação;
    • Reservatório de água com grande capacidade de armazenamento (aproximadamente 10 litros), otimizando a extração de temperatura.
  •  Controle fiel da temperatura do Peltier: visualização real e instantânea da temperatura, ajustável de -8°C a +8°C. Estudos comprovam que temperaturas extremamente negativas não potencializam o efeito, aumentando o risco de lesão ou de reação adversa;
  • 4 modos de vácuo: contínuo e pulsado 1, 2 e 3. Os modos pulsados permitem o tratamento de áreas mais doloridas e aderidas com maior conforto e menor risco de hematomas. Efetivo em manter a sucção no uso simultâneo dos aplicadores;
  • Steps Mode: permite a configuração de modos de tratamentos personalizados;
  • Clean Mode: exclusivo sistema de autolimpeza dos aplicadores e cabos;
  • Acessórios personalizados e funcionais: almofadas e faixas elásticas para suporte do aplicador, réguas para demarcação da área a ser tratada e fluido higienizante para pele e aplicador;
  • Indicador luminoso de calor e frio no aplicador;
  • 3 tamanhos de aplicadores, o que permite o tratamento de diferentes áreas e biotipos;
  • Suporte removível dos aplicadores;
  • Botão Pause: interrompe a terapia sem perder dados programados;
  • Senha para desbloqueio: acesso permitido somente para pessoas autorizadas;
  • Tutorial informativo;
  • Design moderno e fácil deslocamento.

Criolipólise

A criolipólise convencional pode ser descrita como sendo um sistema que atua por meio do resfriamento (extração de temperatura) em conjunto a um sistema de sucção a vácuo assistido, gerando cristalização e subsequente apoptose das células do tecido adiposo.

A criolipólise de contraste inclui períodos de aquecimento no início e no final do procedimento. A técnica baseia-se no uso da temperagem (calor/frio/calor – técnica utilizada na indústria alimentícia para induzir a cristalização de lipídeos), a fim de favorecer a cristalização do maior número de adipócitos com a possibilidade de uma maior destruição celular.

A criolipólise de reperfusão inclui período de aquecimento no final do procedimento. O uso do calor após o tratamento convencional pode se sustentar também pela hipótese da formação de espécies reativas de oxigênio, pois favorece a reperfusão/recuperação tecidual de forma possivelmente mais acentuada com melhora de resultados por indução de danos adicionais aos adipócitos do local tratado.

A criolipólise de preparo inclui períodos de aquecimento no início do procedimento, com o intuito de aumentar a maleabilidade de tecidos mais compactados e favorecer a sucção do tecido pelo aplicador.

Efeitos fisiológicos esperados

  1. Cristalização dos lipídeos (causada pelo frio);
  2. Lesão por reperfusão (por espécies reativas de oxigênio);
  3. Paniculite inflamatória (inflamação produzida pelo frio);
  4. Gradual remoção dos resíduos celulares por mecanismos naturais (neurófilos e macrófagos);
  5. Diminuição do número de adipócitos e remodelagem corporal.

Cristalização dos lipídeos: determinada extração de temperatura (aproximadamente 8 °C), que induz à cristalização da gordura contida nos adipócitos. Esse efeito dispara a morte celular dos adipócitos que são muito mais susceptíveis ao frio do que as outras células da pele ou o tecido subcutâneo. Os efeitos induzidos pela cristalização são irreversíveis.

Lesão por reperfusão: dano tecidual causado quando o fornecimento de sangue retorna para o tecido após um período de isquemia ou falta de oxigênio. A dinâmica entre estase vascular e reperfusão tecidual induz à produção de ROS (espécies reativas de oxigênio). A ausência de oxigênio e nutrientes do sangue durante o período de resfriamento cria uma condição na qual o restabelecimento da circulação resulta em inflamação e dano oxidativo através da indução do estresse oxidativo, em vez da restauração da função normal.

Paniculite inflamatória: o processo inflamatório causado nos adipócitos pela cristalização e subsequente reperfusão reflete-se pelo fluxo de células inflamatórias, que pode ser observado por volta do 3º dia após o tratamento e apresenta um pico aproximadamente no 14º dia, com presença de infiltrado contendo histiócitos, neutrófilos, linfócitos e outras células mononucleadas.

Gradual remoção dos resíduos celulares por fagócitos: entre o 14º e o 30º dia pós-tratamento, macrófagos e outros fagócitos envolvem e digerem as células adiposas como parte de uma resposta natural à injúria.

Diminuição do número de adipócitos e remodelagem corporal: 4 semanas após o tratamento, a inflamação e o volume de adipócitos diminuem. Entre 2 e 3 meses depois do tratamento, os septos interlobulares espessam-se e o processo inflamatório desaparece.

Tratamentos


Áreas de tratamentos corporais

Sugestões de áreas comumente tratadas. Outras regiões podem ser tratadas.

 

Abdômen infraumbilical

Aplicação do Equipamento de Criolipólise Polarys

Aplicação do equipamento Polarys (criolipólise) na região de abdômen infraumbilical, para o tratamento de gordura localizada.

Proteja adequadamente a região da cicatriz umbilical.

 

Região de flancos

Região dos Flancos com Equipamento de Criolipólise Polarys

Aplicação do equipamento Polarys (criolipólise) na região de flanco, para o tratamento de gordura localizada.

 

Região de culote

Região do Culote com Equipamento de Criolipólise Polarys

Aplicação do equipamento Polarys (criolipólise) na região de culote, para o tratamento de gordura localizada.

 

  • Região de flancos;
  • Região interna de coxa;
  • Região de culote;
  • Região infraescapular;
  • Região lombar;
  • Região posterior de braço;
  • Região infraglútea;
  • Região axilar anterior;
  • Região axilar posterior;
  • Região interna de joelho;
  • Região de submento.

Indicações


  • Tratamento conservador da gordura localizada;
  • Modelagem não invasiva do contorno corporal;
  • Pré-operatório de lipoaspiração.

Contraindicações


  • Gestantes ou sobre o útero potencialmente grávido;
  • Dispositivo eletrônico implantado (exemplo: marca-passo);
  • Áreas neoplásicas ou sobre áreas onde o tumor foi removido;
  • Crianças, idosos ou pacientes com alta sensibilidade ao frio (crioglobulinemia);
  • Intolerância à crioterapia;
  • Síndrome de Raynaud;
  • Sobre áreas isquêmicas (onde o suprimento sanguíneo pode ser incapaz de suprir a demanda metabólica resultando em necrose);
  • Sobre feridas abertas ou infectadas;
  • Sobre hérnia abdominal para pacientes tratados no abdômen;
  • Diabetes Mellitus ou outros casos de déficit de cicatrização;
  • Indivíduos com doenças metabólicas e hepáticas que comprometam o metabolismo das gorduras;
  • Sobre áreas com alteração de sensibilidade;
  • Sobre pele irritada ou com presença de dermatites;
  • Cirurgias recentes no local do tratamento;
  • Uso regular de medicamentos anti-inflamatórios;
  • Queloides ou propensão a queloides na região a ser tratada;
  • Regiões com marcas de cicatrizes hipertróficas.

Perguntas


Quais são os efeitos a criolipólise promove no tecido?

Os efeitos que a criolipólise promove no tecido são: cristalização dos lipídeos por extração de temperatura, paniculite lobular (inflamação causada pelo frio), reperfusão tecidual e fagocitose.

Quais são as principais áreas de tratamento?

Áreas do tronco (exceto região precordial), pescoço (exceto região de carótidas e tireoide), região pélvica, membros superiores e inferiores com presença de gordura localizada.

Quais são as principais precauções que devem ser tomadas ao se aplicar a criolipólise?

Deve-se verificar atentamente a presença de contraindicações, realizar a completa anamnese do paciente, assim como avaliação fotográfica, perimetria e adipometria, para acompanhar a evolução clínica do paciente.

Também deve-se verificar os medicamentos que possam interferir no tratamento, inspecionar o aplicador antes do início de cada tratamento, demarcar a área a ser tratada, a fim de direcionar o posicionamento da membrana anticongelante e do aplicador, posicionar o paciente de forma confortável e de maneira que exponha a área a ser tratada. É importante que, antes de interromper a sucção ao final do tratamento e realizar o desacoplamento, o profissional segure o aplicador firmemente, para evitar a queda do mesmo.

Qual o tempo médio de aplicação da criolipólise? Qual deve ser o intervalo entre as sessões?

O tempo de resfriamento deve ser entre 45 e 60 minutos. No entanto, na criolipólise de contraste, na reperfusão e na de preparo, o tempo de aplicação é maior devido ao tempo de aquecimento pré e/ou pós-resfriamento. Os intervalos entre as sessões podem variar de 60 a 120 dias após a primeira aplicação.

Como realizar o abastecimento do reservatório de água do Polarys?

Para o correto funcionamento do sistema, é necessário abastecer o reservatório com água, o qual deve ser feito com o equipamento ligado e aplicadores conectados. Antes de ligar o Polarys, posicione os aplicadores em seus suportes e, em seguida, conecte os cabos dos aplicadores ao equipamento até o completo encaixe.

Conecte o equipamento à rede elétrica e pressione o botão On da chave liga-desliga, remova as tampas dos conectores da entrada e saída de água e conecte a mangueira com funil na entrada de água. Abasteça lentamente o reservatório com água até o extravasamento pela mangueira conectada na saída de água. Após o processo, desconecte as mangueiras e tampe os conectores.

Como funciona o Clean Mode?

A tecla Clean Mode acessa o modo de limpeza do aplicador e os cabos do equipamento. Na tela inicial, o usuário inicia a limpeza por meio do ícone “Clean Mode” e acessa o passo a passo do procedimento de limpeza.

O que é Peltier? Como ocorre a extração de temperatura no aplicador?

Peltier é uma pastilha termoelétrica localizada na parte interna do aplicador, em contato com as placas metálicas laterais. Por meio de estimulação elétrica, esse dispositivo extrai calor (resfria) da superfície metálica que está em contato, enquanto libera o calor extraído do outro lado, trocando calor com a água que circula pelo aplicador.

Sendo assim, quanto maior o reservatório de água, maior é a quantidade de água que circula pelo aplicador, o que otimiza a troca de calor com o Peltier e promove a manutenção eficaz da temperatura durante a aplicação.


Ibramed 2018 © | Todos os direitos reservados